COMO FAZER AMIGOS E INFLUENCIAR PESSOAS, LIVROS

Você não pode vencer uma discussão – Parte3 / Princípio1

Bem-vindo ao resumo do livro “Como fazer amigos e influenciar pessoas”.

Tentei extrair o melhor de cada capítulo e inserir comentários que possam contribuir para o fácil entendimento do conteúdo.

PARTE 3 – Como conquistar as pessoas a pensarem do seu modo.

A única maneira de ganhar uma discussão é evitando-a”.

No livro o autor cita uma situação bem interessante, que me fez pensar bastante… ele diz que em certa ocasião, estava em uma festa, e acabou discordando de um senhor que dizia que a frase: “Há uma divindade que protege nossos objetivos, traçando-os como os desejamos” constava na Bíblia, mas ele tinha certeza que esta era de Shakespeare.

Saindo da festa comentou com um amigo que também estava na mesa onde a discussão surgiu, e enfatizou, que mesmo o tal senhor discordando, ele tinha certeza que a frase era de Shakespeare.

Foi quando seu amigo lhe disse: “Sim, eu também tenho certeza que é de Shakespeare, mas nós éramos convidados naquela festa. Por que provar a um homem que ele estava errado? Isso iria fazer com que ele gostasse de você? Por que não evitar que ele ficasse envergonhado? Não pediu sua opinião. Não a queria. Por que discutir com ele?”

E eu acabo de aprender esta lição, e espero conseguir ser mais sensata, empática, e relaxada em situações desse tipo.

Engraçada é a vida, quanto mais conhecimento você tem mais você tende a ser um discutidor, e isto faz com que você se sinta bem; discutir é bom, é altamente recomendado quando você tem liberdade pra isto, mas às vezes, não é necessário provar que estamos certos e sermos muito duros e argumentativos com as pessoas.

Analise a situação, verifique se a deixa foi dada, e mesmo que seja, tente não fazer o outro passar vergonha, se coloque no lugar dele antes de emitir suas palavras.

O autor chega a conclusão, que o único meio para conseguir o melhor numa discussão, é correr dela, pois nove vezes em dez, uma discussão termina com cada um dos contestantes convencido, mas firmemente do que nunca, de que está certo.

Ele diz que não podemos vencer uma discussão, porque se perder, perdeu mesmo, e, se ganhar, também perdeu. Isto porque, suponha que você triunfou sobre outra pessoa, e arrasou com seus argumentos. Você o fez sentir-se inferior. Você lhe feriu o amor próprio, e de qualquer forma, se alguém foi convencido contra a vontade, conservará sempre a opinião anterior.

“Quando você discute, inflama-se e se contradiz, você pode, algumas vezes, conseguir uma vitória; mas será uma vitória sem proveito, porque nunca contará com a boa vontade do seu oponente”. Benjamin Franklin

Ensinamento de hoje: “A única maneira de ganhar uma discussão é evitando-a”.

Fonte: Alguns conceitos extraídos do livro “Como fazer amigos e influenciar pessoas”.

Anúncios
COMO FAZER AMIGOS E INFLUENCIAR PESSOAS, LIVROS

Como fazer as pessoas gostarem de você – Parte2 / Princípio6

Bem-vindo ao resumo do livro “Como fazer amigos e influenciar pessoas”.

Tentei extrair o melhor de cada capítulo e inserir comentários que possam contribuir para o fácil entendimento do conteúdo.

PARTE 2 – Seis maneiras de fazer as pessoas gostarem de você.

Faça a outra pessoa sentir-se importante, e faça-o com sinceridade.

Aprender a não ser egoísta, essa é a primeira lição para fazer com o que o outro sinta-se importante.

Irradiar um pouco de felicidade e passar um pouco de sincero reconhecimento e apreço para outra pessoa sem tentar conseguir algo em troca.

Conseguir a satisfação de fazer alguma coisa por alguém, alguma coisa simples, como um elogio sobre sua roupa, seu cabelo, enfim.. algo que não nos custa nada admirar. E ao fazer, significa que um sentimento crescerá dentro da pessoa, e talvez até na memória, mesmo muito tempo depois de passado o acontecimento.

Há uma lei de conduta humana de máxima importância. Se obedecermos a esta lei, quase nunca teremos preocupações. De fato, tal lei, sendo seguida, nos trará constante felicidade.

Mas, assim que a violarmos, teremos logo de enfrentar uma série de infinitos transtornos. A lei é a seguinte: Fazer sempre a outra pessoa sentir-se importante.

Ser importante é o desejo mais profundo da natureza humana. Você quer ser importante pra alguém, não quer?

“Faça aos outros o que quer que os outros lhe façam”. Jesus Cristo

Você deseja a aprovação de todos aqueles com quem está em contato. Quer sentir-se importante no seu pequeno mundo. Não quer ouvir bajulações falsas e baratas, mas deseja um elogio sincero. Todos nós queremos isto.

A verdade crua é que quase toda pessoa que você encontra se julga superior a você em algum ponto; e um caminho seguro para tocar-lhe o coração é fazê-lo compreender, de uma maneira sutil, que você reconhece a importância dele, e o faz sinceramente.

“Cada homem que encontro é superior a mim em alguma coisa; e nisto posso aprender com ele”. Emerson

Você é importante, mas a outra pessoa também é, então faça ela se sentir assim, e faça com sinceridade. 😉

Fonte: Alguns conceitos extraídos do livro “Como fazer amigos e influenciar pessoas”.

COMO FAZER AMIGOS E INFLUENCIAR PESSOAS, LIVROS

Como causar interesse nas pessoas – Parte2 / Princípio5

Bem-vindo ao resumo do livro “Como fazer amigos e influenciar pessoas”.

Tentei extrair o melhor de cada capítulo e inserir comentários que possam contribuir para o fácil entendimento do conteúdo.

PARTE 2 – Seis maneiras de fazer as pessoas gostarem de você.

Fale de coisas que interessem à outra pessoa.

Os líderes deveriam saber, a estrada real para o coração de uma pessoa é falar-lhe sobre as coisas que ela mais estima.

Você conhece realmente as pessoas que convivem com você? Se a resposta for não certamente é porque você está ouvindo pouco e falando demais.

Faça um exercício e tente escrever, pelo menos, 3 coisas que as pessoas mais próximas de você gostam ou se interessam… analise se é fácil ou não fazer essa lista, talvez aí esteja a resposta de que você precisa perguntar mais, escutar mais.

Isto certamente vale para uma reunião de negócios, para uma entrevista de emprego; O quanto você tem estudado sobre o seu entrevistador, sobre a empresa que gostaria de trabalhar? Não adianta, você não vai impressionar falando só sobre você, o outro quer ouvir o que você sabe sobre ele e sobre os seus interesses também.

Falar em termos dos interesses da outra pessoa traz benefícios para ambas as partes. Além de te ajudar a conseguir a atenção, respeito, e admiração do outro, você ainda tem a recompensa de enriquecer a sua vida a cada vez que conversa com uma pessoa. Você aprende coisas novas com elas, melhora e aumenta sua rede de relacionamentos, e torna-se uma pessoa interessante, mais interessante do que se falasse sem freios, tornando-se, às vezes, uma pessoa chata.

Então, aprenda a falar das coisas que interessem às outras pessoas. Você se tornará bem mais agradável e com certeza fará muitos amigos, terá admiradores e o melhor de tudo, irá envolver sua vida de conhecimento.

Fonte: Alguns conceitos extraídos do livro “Como fazer amigos e influenciar pessoas”.

TREINAMENTO

Os 3 elementos vitais da Gestão da Emoção e da construção de relações saudáveis.

Olá! 🙂

Vamos abordar nesse post três elementos que potencializarão ainda mais os seus resultados: ser agradável, ser admirável e ser surpreendente!

Quem tem essas três ferramentas de ouro em sua personalidade não influencia apenas o ambiente social, mas também revoluciona a relação conjugal e a relação com os filhos, alunos, colegas de trabalho.

1. SEJA AGRADÁVEL:

  • Não dê um cartão de crédito ilimitado para a sua emoção. Aprenda a gerenciá-la e protegê-la.
  • Seja agradável com as pessoas de seu convívio, mesmo as que não lhe são simpáticas ou educadas.
  • Não compre aquilo que não lhe pertence.
  • Não eleve o tom de voz quando alguém eleva o tom de voz com você.
  • Faça o uso do Silêncio Proativo, ao invés de criticar excessivamente, mantendo sua dignidade e saúde mental.
  • Abra o leque da sua mente para dar respostas inteligentes, principalmente em situações estressantes.

Os simpáticos dão o que dinheiro não compra para seus íntimos, dão sua alegria, seu ânimo, sua coragem de lutar, sua capacidade de crer na vida mesmo nos dias dramáticos.
Os antipáticos abortam o ânimo, fomentam o pessimismo, promovem a timidez e a insegurança.

2. SEJA ADMIRÁVEL:

  • Criticar menos. Não seja carrasco de si mesmo e nem do outro.
  • Elogiar e a aplaudir o outro e a si mesmo. Uma pessoa admirável está sempre disponível a aplaudir, não apenas as grandes conquistas ou atitudes, mas as pequenas.
  • Ser um grande construtor de Janelas Light em si e nas pessoas que estão a sua volta.
  • Entender que ninguém muda ninguém, que o único responsável por mudar é o próprio “Eu”.
  • Cumprir suas promessas.
  • Aprender a rir dos defeitos suportáveis. Dê risadas das “picuinhas” e da insuportabilidade das pessoas. Lembre-se que nós também temos comportamentos que outras pessoas não aplaudem.
  • Respeitar as diferenças individuais. Cada um de nós tem um ritmo diferente de aprender e fazer.
  • Compreender mais.

Um ser admirável é uma pessoa apta a aplaudir, está sempre disposta, observando e elogiando, ainda que sejam pequenas atitudes de tranquilidade e serenidade do seu próprio “EU” e das pessoas ao seu redor. Deixando de ser indelicado, aplaude todos os comportamentos nobres, pedindo com gentileza para que nosso vício de apontar falhas retire-se do recinto dos nossos pensamentos predadores. Ninguém muda ninguém. Não tenha a necessidade neurótica de domar as ansiedades dos outros, ou de mudá-las. Respeite o limite das pessoas.

Pratique o elogio, pelo menos 3 vezes por dia, com as pessoas de seu convívio.

3. SEJA SURPREENDENTE:

  • Ser encantador. Diga coisas inesperadas, abandone os velhos discursos e jargões, surpreenda as pessoas que ama com declarações românticas, compartilhe sua história com seu colega de trabalho e ouça a dele.
  • Fazer o inesperado, sair da armadilha do cárcere da rotina.

Um ser surpreendente diz coisas ímpares, tem reações inesperadas e impactantes.

É difícil mudar? É, sim! Você vai encontrar algumas dificuldades ao longo da sua jornada, o que é normal e previsível! Mas acalme-se e seja perseverante, com dedicação diária, é possível. 😉

 

Fonte: Curso Gestão da Emoção de Augusto Cury

TREINAMENTO

Técnica D.C.D – Duvidar, Criticar, Determinar. ​

O que você pode fazer por si mesmo para construir janelas saudáveis na sua mente?

Sejam quais forem os pensamentos destrutivos que roubam sua tranquilidade, pratique essa poderosa ferramenta: D.C.D. – Duvidar, Criticar, Determinar.

Quando aplicamos a técnica D.C.D. podemos formar Janelas Light que serão um repertório incrível para o nosso subconsciente enfrentar a mesma situação de maneira diferente no futuro.

1° PASSO: DUVIDAR DE SEUS PENSAMENTOS DESTRUTIVOS:
Duvide de tudo em que você crê e o controla e perturba. A dúvida é o princípio da sabedoria. Duvide de que você não consiga superar seus conflitos, suas dificuldades, seus desafios. Duvide dos seus pensamentos negativos.

Exemplos:
“Eu duvido que as pessoas não vão gostar de tudo que eu tenho a dizer sendo que me dediquei com tanto carinho.”
“Eu duvido que eu serei rejeitado nesta situação.”
“Será mesmo que vou fracassar depois de ter me preparado tanto?”
“Eu duvido de cada pensamento perturbador.”
“Eu duvido do que as pessoas pensam e falam de mim.”
“Eu duvido que esses monstros que imaginei na minha cabeça vão se realizar.”

Plantar a semente da dúvida sobre o medo ou sobre o pensamento destrutivo que lhe assombra.

2° PASSO: CRITICAR ESSES PENSAMENTOS:
Critique cada ideia pessimista, preocupação excessiva e pensamento antecipatório. Cada pensamento negativo deve ser combatido. Treine-se a não se perturbar pelo amanhã.
Seu “Eu” tem de deixar de ser passivo, tem de criticar seus pensamentos que induzem culpa e antecipação. Viva o presente e não o amanhã. Pense no amanhã o suficiente para se planejar.

Exemplos:
“Por que penso desta forma?”
“Por que ser vítima destes sentimentos ou pensamentos?”
“Quais armadilhas estão no controle da minha vida neste momento?”

3° PASSO: DETERMINAR SER LIVRE:
Determine ser alegre, seguro, forte. Determine não ser escravo dos seus conflitos. Decida ter encanto pela vida, contemplar a beleza da criação, lutar pelos seus sonhos. Proclame isso na sua mente.

Exemplos:
“Eu decido que, a partir de agora, sou muito mais confiante para falar em público.”
“Eu decido que sou autor da minha própria história.”
“Eu decido ser feliz e gerenciar minhas próprias emoções para me tornar um ser humano cada vez melhor.”

Determine que você seja capaz de reeditar esse momento em sua vida perdoando a si mesmo, a pessoa ou momento traumático que passou.

Atenção! Esse processo deve se repetir todos os dias até se perceber que ao lado das Janelas killer, novas Janelas light serão construídas na sua mente, transformando pouco a pouco, o seu “Eu Doente” num “Eu Saudável”. 😉

 

Fonte: Curso de Gestão da Emoção – Augusto Cury 

COMO FAZER AMIGOS E INFLUENCIAR PESSOAS, LIVROS

Um modo fácil de ser um bom conversador – Parte2 / Princípio4

Bem-vindo ao resumo do livro “Como fazer amigos e influenciar pessoas”.

Tentei extrair o melhor de cada capítulo e inserir comentários que possam contribuir para o fácil entendimento do conteúdo.

PARTE 2 – Seis maneiras de fazer as pessoas gostarem de você.

Seja um bom ouvinte, incentive as pessoas a falarem sobre elas mesmas”.

Ouvir atentamente! Esta é uma característica que você nunca esquece sobre alguém. Eu tinha um chefe assim, e sempre elogiava e ouvia elogios sobre essa qualidade dele, me inspirou a ser assim também, e claro, ser verdadeiramente interessada na outra pessoa, pois no final das contas, é isso que fará a diferença, e que definirá se essa pessoa é mesmo digna ou não.

Mas pensando bem, eu sempre fui uma ótima ouvinte, sempre escutei mais do que falei sobre mim… e eu utilizo isso com os clientes também, muitos deles só querem desabafar, reclamar de algo, enfim… e quando você escuta, esse simples ato já ameniza muita coisa.

Ser um bom ouvinte e incentivar as pessoas a falarem – essa espécie de atenção é uma das mais altas considerações que podemos prestar aos outros.

Muitas pessoas deixam de causar uma boa impressão porque não ouvem atentamente. Caramba, e pensando bem, isso acontece muito! Ficam tão interessadas no que vão dizer que acabam não abrindo os seus ouvidos.

E as pessoas, no geral, não querem conselhos, querem apenas um bom ouvinte. É isso que, frequentemente, todos os clientes irritados querem, bem como o empregado insatisfeito ou um amigo magoado.

Então, para ser uma pessoa interessante, precisamos ser interessados. Faça perguntas em que o outro sinta prazer em responder. Incentive-o a falar sobre si mesmo e sobre os seus assuntos prediletos.

No livro tem uma receitinha de como fazer as pessoas correrem de você: nunca se mostre disposto a ouvir alguém por muito tempo. Fale incessantemente sobre você mesmo. Se tiver uma ideia, enquanto a outra pessoa estiver falando, não espere que ela termine. Ela não é tão interessante como você. Por que gastar seu tempo ouvindo sua tagarelice? Adiante-se logo, interrompendo-a no meio da sentença.

Você conhece alguém assim?

São importunos, importunos intoxicados com o próprio ego! Vamos tomar cuidado para não nos tornarmos um desses! A habilidade de ouvir parece ser mais rara do que qualquer outra boa maneira.

Concorda? Deixe sua opinião nos comentários. 😉

Fonte: Alguns conceitos extraídos do livro “Como fazer amigos e influenciar pessoas”.

 

COMO FAZER AMIGOS E INFLUENCIAR PESSOAS, LIVROS

Se você não fizer isso, será dominado por complicações – Parte2 / Princípio3

Bem-vindo ao resumo do livro “Como fazer amigos e influenciar pessoas”.

Tentei extrair o melhor de cada capítulo e inserir comentários que possam contribuir para o fácil entendimento do conteúdo.

PARTE 2 – Seis maneiras de fazer as pessoas gostarem de você.

Lembre-se que o nome de uma pessoa é para ela o som mais doce e mais importante que existe em qualquer idioma”.

Trate todos pelo nome, a regra é simples, mas o trabalho é penoso. Você até consegue tratar pelo nome aqueles com o qual tem bastante contato, não é fácil esquecer o nome dessas pessoas, mas e aquelas que você vê poucas vezes, ou que viu apenas uma vez e que acha que não verá novamente, e talvez por isso não dê tanta importância em guardar seu nome. Pois bem, os que conseguem se lembrar do nome das pessoas que viram apenas uma vez são os mais bem sucedidos no quesito “fazerem as pessoas gostarem de você”. E isso não é bobeira não, Lembre-se que o nome de uma pessoa é para ela o som mais doce e mais importante que existe em qualquer idioma.

Um rapaz chamado Jim Farley, um vendedor, criou um sistema para relembrar o nome das pessoas. Ele disse que no começo era muito simples. Todas as vezes que travava uma nova amizade, procurava saber o nome completo da pessoa, quantos membros tinha na família, a natureza de seus negócios e suas ideias políticas. Gravava bem na mente todos esses fatos, como parte do retrato do novo conhecido, e, na vez seguinte em que encontrava a pessoa, mesmo que fosse um ano mais tarde, tinha facilidade em dar-lhe uma pancadinha nas costas, perguntar depois pela esposa e os filhos e sobre as plantas no jardim.

Jim Farley cedo verificou que a pessoa comum é mais interessada no seu próprio nome do que em todos os outros nomes da terra juntos.

Lembre-se do nome, chame-o facilmente e terá prestado a qualquer pessoa um sutil e muito eficiente cumprimento. Mas esquecê-lo ou chamá-lo por nome diferente é colocar-se numa grande desvantagem.

Às vezes, não é fácil lembrarmos um nome, principalmente se ele é de pronúncia difícil. Em vez de tentar decorá-lo, muita gente o ignora ou chama a pessoa por um apelido que seja mais fácil. A maioria das pessoas se esquece dos nomes pela simples razão de não dedicar a esse exercício o tempo e a energia necessários para concentrar, repetir e gravar os nomes na memória.

Metade das vezes que somos apresentados a um estranho, falamos-lhe alguns minutos, e não podemos sequer lembrar seu nome quando nos despedimos.

Uma das primeiras lições que um político aprende é a seguinte: “Lembrar-se do nome de um eleitor é conquistá-lo. Esquecer é perdê-lo”. E a habilidade de lembrar nomes é quase tão importante nos negócios e nos contatos sociais como na política.

Napoleão III, imperador da França e sobrinho do grande Napoleão tinha uma técnica simples: Se não ouvia o nome de alguém perfeitamente, dizia: “Perdão. Não ouvi bem seu nome”. Se era um nome não muito comum costumava dizer: “Como se escreve?” Durante a conversa, preocupava-se em repetir o nome várias vezes, e procurava associá-lo na mente com alguns sinais característicos da pessoa, expressão e aparência geral.

Fica aí a dica! 😉

Fonte: Alguns conceitos extraídos do livro “Como fazer amigos e influenciar pessoas”.