LIDERANÇA, RECURSOS HUMANOS, ARTIGOS COMPLEMENTARES, MOTIVAÇÃO

Que critérios pautarão sua vida?

Essa é a pergunta que serve de título para o artigo de Clayton M. Christensen, uma das leituras essenciais da Harvard Business Review. Christensen ensina na Harvard Business School como aplicar as teorias de gestão e de inovação para desenvolver empresas mais sólidas. Mas ele também acredita que esses modelos de gestão podem ajudar as pessoas a viverem melhor.

Uma das teorias que lança luz sobre a questão – como ser feliz na carreira – é de autoria de Frederick Herzberg. Segundo ele, a maior motivação na vida não é o dinheiro, e sim a oportunidade de aprender, de assumir responsabilidades, de colaborar, de obter reconhecimento pelas conquistas realizadas. 

Você que ocupa um cargo de gestão, liderança, e tem o poder de interferir de forma positiva ou negativa na carreira de um liderado ou parceiro de trabalho, saiba que, indiretamente, ou até posso me arriscar a dizer que diretamente também, você está interferindo na vida dessa pessoa de forma substancial. 

Tente imaginar essa pessoa chegando em casa depois de um dia de trabalho, onde ela se sentiu desvalorizada, frustrada, humilhada; como será a relação dessa pessoa com o cônjuge e filhos no final desse dia? Agora imagine o contrário, essa pessoa chegando em casa com a autoestima elevada, depois de um dia de muito aprendizado, e de ter exercido um papel relevante no sucesso da empresa. O cenário muda totalmente, não é mesmo?

Christensen chega a conclusão que, quando bem exercida, a gestão é a mais nobre das profissões. Nenhuma outra ocupação nos dá tantas possibilidades de ajudar o outro a aprender e a crescer, a assumir responsabilidades e a ter seus feitos reconhecidos, e contribuir para o sucesso de uma equipe.

Você que é gestor, não é muito legal olhar as coisas por essa perspectiva!? Eu sempre tive essa visão de que desenvolver pessoas é o melhor que você pode fazer por alguém a longo prazo. Direcionar, incentivar, criar programas de qualificação, é algo que você investe agora, mas que irá refletir para sempre na vida da pessoa. Desenvolvimento pessoal e profissional é algo que você deposita um pouquinho a cada dia e que a longo prazo se transforma em algo grande; talvez você não enxergue isso agora mas agradecerá lá na frente. 

É comum termos algum conhecido que não está satisfeito com o emprego e que a pauta da vida pessoal é que só será feliz quando tiver um emprego melhor. Temos o costume de achar que teremos mais tempo e energia no futuro. Essa última frase é a pura verdade, não é mesmo!? Quantas coisas procrastinamos… amanhã eu faço. Mas o amanhã não existe, só temos o hoje, e quando o amanhã chegar, mais obrigações teremos. Eu aprendi que nós temos duas vidas e a segunda começa quando a gente percebe que só temos uma.

Por isso, é essencial, que na sua vida, você tenha um propósito, para não se perder no decorrer dos anos fazendo o que não gosta, com gestores que não te incentivam, chegando em casa e descontando na família… às vezes por anos a fio. 

Ah Marina, esta história de propósito de novo? 

Bom, se você não sabe o que busca, e para onde está indo, qualquer caminho serve, não é mesmo!? Até mesmo deixar a vida te levar, sem fazer nenhum esforço para mudar o caminho em direção do seu propósito, se você já tiver um. Garanto que se você dedicar tempo para descobrir o seu propósito, você irá economizar muito mais tempo futuro, pois saberá exatamente o que quer e o que não quer e isso guiará sua vida.

Christensen diz que, sem um propósito, a vida pode se tornar vazia.

E então, que critérios pautarão sua vida?

EMPREENDEDORISMO

Comemoração de 01 ano na Gestão Get it Academy (agora Hugle Education) – Uma breve história. (Parte 01)

Escrevi esse post em 03 de Maio de 2020, quando completamos 01 ano na Gestão da Get it Academy (agora Hugle Education), unidade do bairro Vista Verde, na cidade de São José dos Campos/SP.

Muitas horas de trabalho para fazer com que a empresa tivesse um crescimento de 30% em 9 meses, atingindo uma marca histórica de alunos. Essa é a nossa história.

A Hugle Education é uma franquia de escolas de Inglês e Espanhol que aplica o Método Callan para crianças, adolescentes e adultos, há mais de uma década.

Meu marido, Ernesto, e eu iniciamos nossa jornada com o Método Callan como alunos há alguns anos atrás e a partir daí nos apaixonamos pelo método de ensino. Assim como todas as pessoas que eu conheço e que começaram a aprender através deste método.

A minha história com a Hugle Education, iniciou-se em 2014, quando participei de um processo seletivo e fui a escolhida para o cargo de Coordenação Administrativa de uma das unidades, na época Academy School. Foi uma jornada e tanto, de 4 anos, trabalhando com pessoas fantásticas, no qual pude me desenvolver, e crescer.

Depois desses 4 anos, eu precisei de um tempo pra mim, me desconectar um pouco do mundo corporativo, e me reencontrar. Foi muito bom, pude desenvolver outras habilidades, das quais sentia falta.

Após esse um ano sabático, senti que era a hora de voltar à ativa. Depois de muita água correr, muitas conversas, análises e abrir mão de muita coisa na minha vida com o objetivo de conquistar outras, tive a oportunidade de retornar a Rede, agora como Diretora de uma das unidades.

O que me motivou a dar esse grande passo, com o apoio fundamental do meu marido, foi o meu propósito. Eu já tinha definido que queria fazer algo de valor, algo que agregasse na vida das pessoas através da educação, principalmente porque eu conhecia e acreditava no método Callan e que aprendi muito através dele também.

Um ponto fundamental, em toda essa breve história, é que eu assumi uma unidade da Rede que já estava em funcionamento, ou seja, essa escola específica no qual eu adquiri, estava no mercado há 8 anos e com resultados muito satisfatórios.

Aqui tem um ponto importante que é preciso mencionar: existe o lado bom de se adquirir uma empresa em pleno funcionamento e existe um outro lado extremamente desafiador.

Vou tentar exemplificar: O lado bom é que você já tem uma equipe treinada e preparada, os clientes já existem, a engrenagem já está rodando enquanto você tem um certo tempo para se adaptar a todo esse funcionamento. É um alívio ter um respiro, mesmo que pequeno, para planejar e começar a entender como tudo ali está funcionando, ao invés de só pensar em trazer clientes como toda nova empresa deve ser. Por que sem clientes você não consegue rodar essa máquina.

É também extremamente vantajoso você entender do negócio, do produto/serviço e ter a experiência necessária para analisar, entender e tomar as melhores decisões na empresa.

Eu já havia trabalhado em outras escolas no passado e isto foi uma grande vantagem, também já entendia a dinâmica da Rede, no qual tive uma experiência de 4 anos, onde passei pelos cargos de Coordenadora Administrativa e Supervisora Administrativa, ajudando na implantação de algumas das primeiras franquias.

Isto fez toda a diferença! Por isso, invista no que você acredita e entenda uma coisa: o risco sempre vai existir o importante é estar preparado e encará-los de frente.

Principalmente, se for uma franquia, procure conhecer a história de quem está por trás deste empreendimento, sua maneira de liderar, seus valores, qual o posicionamento diante do mercado e dos concorrentes; toda a informação que você puder coletar será muito bem aproveitada. Eu tive a sorte de conhecer as pessoas por trás da franquia e a história de cada uma delas, por isso, tive maior segurança em investir pois tinha certeza que em nenhuma circunstância ficaria desamparada. Pois teriam pessoas sempre ao meu lado para me dar apoio nos momentos das decisões difíceis e também nos momentos de conquistas.

A parte extremamente desafiadora que vivencio todos os dias, é o desafio de assumir algo e provar todos os dias de que você é capaz; o que é extremamente natural e faz parte de todo o “combo” de empreender.

Você precisa entender que buscar aprovações é uma constante quando se trabalha com uma vasta equipe em uma grande rede. Você precisa encarar isso como parte do seu crescimento profissional e não como um fardo a carregar.

O que pude analisar e vivenciar neste primeiro ano, é que todas as decisões de grande dificuldade devem ser encaradas como possíveis sacrifícios e não como sofrimento. Em cada decisão, que você como empresário tiver que tomar, tenha a certeza de que você está fazendo um sacrifício perante ao que você acredita e por mais que doa em alguns momentos, e na verdade eles são muitos, que você esteja certo de que esses sacrifícios estão de encontro com os seus valores, o seu planejamento, as suas metas e sua visão sistêmica. Por isso, não é necessário haver sofrimento.

Um outro grande desafio de assumir uma empresa em andamento, e acredito que seja o maior deles, é você encontrar o seu lugar. Não de maneira figurativa, porque o seu lugar já existe, mas de maneira efetiva, fazendo parte do processo, da equipe, da cultura até então implantada e aos poucos sendo parte de todo o ecossistema da empresa e se tornando interdependente em todo este processo.

Para que você possa encontrar o seu lugar nesta situação, você precisa entender muitas questões e a principal delas é: a aceitação da equipe que até então estava acostumada com um determinado jeito de trabalhar (e aqui, não quer dizer que existe certo ou errado, apenas maneiras diferentes) e através de uma liderança que vinha de muitos anos. Outro ponto são as questões emocionais que toda a transição envolve no comportamental de todos e que é algo extremamente desafiador.

Diante de todas as questões que envolvem uma transição e que tratamos com muito carinho e cuidado. Sempre analisando, verificando, constatando, mudando, evoluindo, aceitando, negando o que precisava ser negado, reagindo, esperando, avançando, pedindo ajuda… também tivemos e temos como toda empresa várias frentes que são trabalhadas, como: planejamento estratégico, gestão de equipe, vendas, marketing, capacitação, plano operacional e enfim muitas horas de trabalho para fazer com que a empresa tivesse um crescimento de 30% em 9 meses, atingindo uma marca histórica de alunos, até então, na nossa unidade da Vista Verde, em São José dos Campos/SP; e não poderíamos deixar de agradecer o apoio da nossa franqueadora que estão sempre oferecendo reuniões, inovações e suporte para nós e todos os franqueados. E claro, a dedicação da nossa equipe de colaboradores que não mediram esforços para nos ajudar a alcançar essa meta.

E eu vou contar pra vocês, nos próximos artigos, como foi nosso planejamento (de iniciantes), e quais foram as estratégias nesse primeiro ano da nossa gestão.

Espero que possam aproveitar algo da nossa história.

Até mais! 😊

MOTIVAÇÃO

Adeus 2020.

Um futuro melhor para todos nós!

Eu poderia escrever muita coisa, muita mesmo! Esse ano foi totalmente escroto, insensível, arrasador, mas também superável, superamos, acabou… sei que o ponteiro vai virar e que isso não quer dizer que as coisas vão mudar, mas estou esperançosa, acredito em novos ciclos e sempre encaro com positividade, no fim das contas. Faço meus rituais de preparação para o novo ano, organizo minhas metas, limpo a casa, energizo o ambiente e também meu espírito, sinto que é uma renovação. Adoro novos ciclos, novos começos.

Vivi intensas emoções nesse ano; assim como você, muito possivelmente. Cheguei até a dizer que foi o pior ano da minha vida. Tive muitas incertezas, adoeci, tive minha primeira crise de pânico e ansiedade, achei que não iria voltar ao normal, ainda acho que não voltei e talvez não voltarei 100%, mas estou muito melhor do que estava em meados de julho.

Eu me desdobrei tanto esse ano, mas tanto, que o meu corpo e minha mente não aguentaram. E olha que eu sou uma pessoa totalmente ativa, no trabalho principalmente, sempre trabalhei muito, mas esse ano foi diferente. A preocupação em ficar doente, a preocupação com que os outros fiquem doente, a preocupação em equilibrar as contas, em dar conta de tudo, a responsabilidade por outras pessoas, por tentar manter aqueles que “dependem de mim” de certa forma bem. Um turbilhão de pensamentos constantes. O planejamento mudando a cada semana e, às vezes, de um dia para o outro e não mais trimestralmente ou semestralmente. A ansiedade mora aí, no querer fazer com que tudo fique bem o tempo todo, até no futuro, no qual você não tem controle algum e nunca terá.

Mas eu também comecei a me cuidar ainda mais, comecei a fazer terapia e entender que eu preciso me colocar em primeiro lugar, afinal, não conseguirei fazer nada se estiver adoecendo. Aprendi ainda mais a trabalhar as minhas emoções, a entender que eu não posso controlar tudo o tempo todo e que existem situações que não podemos mudar, como uma pandemia, por exemplo… está totalmente fora do meu controle, do seu controle, do nosso controle.

Eu realmente espero que 2021 seja melhor em todos os aspectos, estamos sedentos. Que cada um de nós tenha força, garra, determinação para lutar e fazer do próximo ano algo melhor para nós mesmos e para o próximo.

Apesar do ano ter sido muito difícil e, por vezes, nos percebermos literalmente sozinhos, isolados, nadando contra a correnteza, um pouco até sem forças mas continuando, porque vamos falar a verdade, não temos escolha! E que bom que às vezes não temos escolha, assim precisamos continuar, desistir não é uma opção; mesmo nestes momentos, você pode ter a certeza que tem alguém com um pensamento de carinho por você, te enviando energias boas. Parece um pouco clichê, uma bobeira, mas garanto que podemos mudar o dia de alguém mandando essas energias e, principalmente, verbalizando. Quando essas energias chegam até nós, em um dia cansativo, onde as esperanças estão bem pequenas, é como uma luz que se acende, é o combustível que te ajuda a continuar.

Que em 2021 possamos perceber, reconhecer, agradecer e dizer mais às pessoas o quão importantes elas são em nossas vidas.

Feliz novo ano, com muito amor e gratidão. ❤

Um dos recadinhos lindos que recebi durante o ano ❤
COMO FAZER AMIGOS E INFLUENCIAR PESSOAS, LIVROS

Uma fórmula que fará maravilhas para você – Parte3 / Princípio8

Bem-vindo ao resumo do livro “Como fazer amigos e influenciar pessoas”.

Tentei extrair o melhor de cada capítulo e inserir comentários que possam contribuir para o fácil entendimento do conteúdo.

PARTE 3 – Como conquistar as pessoas a pensarem do seu modo.

“Procure honestamente ver as coisas do ponto de vista da outra pessoa”.

Lembre-se de que, as pessoas, mesmo quando estão completamente erradas, não gostam de saber de tal coisa. Não as condene. Qualquer louco pode fazer isso. Esforce-se para entendê-las. Apenas um homem sábio, tolerante e mesmo excepcional é capaz de assim proceder.

Um outro homem age de determinado modo porque existe alguma razão para isso. Descubra essa razão oculta e terá a chave das suas ações, e talvez da sua personalidade.

Experimente, honestamente, colocar-se em seu lugar.

Se você disser para si mesmo: “Como me sentiria, como reagiria se estivesse no seu lugar?”, terá ganho uma porção de tempo e evitado muita irritação, pois “tornando-se interessados na causa, temos menos probabilidades de não gostar do efeito”. E, desse modo, estará sutilmente aumentando sua capacidade nas relações humanas.

“O sucesso no tratar com as pessoas depende da simpática compreensão do ponto de vista alheio”. Kenneth M. Goode

“Só se alcança a cooperação numa conversa quando você demonstra que considera as ideias e os sentimentos da outra pessoa como tão importantes quanto os seus próprios. Comece uma conversa dando à outra pessoa o objetivo e a direção da sua conversa, controlando o que diz através daquilo que gostaria de ouvir se fosse o ouvinte, e aceitando o ponto de vista que ela lhe apresenta – essa atitude irá encorajar o ouvinte a abrir a mente para as suas ideias”. Dr. Gerald S. Nirenberg

Ver as coisas através dos olhos de uma outra pessoa pode aliviar tensões quando os problemas particulares tornam-se dominantes.

Pergunte a si mesmo: “Por que ele(a) não quer fazer isto?”

Acredite, tal coisa lhe tomará algum tempo, mas atrairá mais amigos e trará melhores resultados, obtidos com menos atrito e menos gasto de energia.

Ensinamento de hoje: “Procure honestamente ver as coisas do ponto de vista da outra pessoa”.

Fonte: Alguns conceitos extraídos do livro “Como fazer amigos e influenciar pessoas”.